Páginas

Marcadores

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Frases do Livro Como eu era antes de você - Jojo Moyes





- Escute, Clark, se for usar um vestido assim, tem que se sentir segura. É preciso vesti-lo mental e fisicamente.
- Só você, Will Traynor, para dizer a uma mulher como ela deve usar um maldito vestido

- Mesmo quando eu era adolescente, meu pai jamais me deixaria sair com um homem mais velho.
- Nem se ele tivesse seu próprio castelo?
- Bom, isso poderia mudar as coisas, obviamente.

“Você só vive uma vez. É sua obrigação aproveitar a vida da melhor forma possível.”
 “Seu corpo era apenas uma parte do pacote completo, algo para se lidar de vez em quando, em intervalos, antes de voltarmos a conversar. Para mim, tinha se tornado a parte menos interessante dele.
 “Alguns erros… apenas têm consequências maiores que outros. Mas você não precisa deixar que aquela noite seja aquilo que define quem você é.”
 “Precisava dar ao meu filho um lugar para onde olhar. Precisava dizer a ele, silenciosamente, que as coisas poderiam mudar, crescer ou fenecer, mas que a vida continuaria. Que todos nós éramos parte de um grande ciclo, algum tipo de arranjo cuja finalidade só Deus poderia entender.”
 “A finalidade da música é fazer com que você se desligue do mundo.”
“Às vezes, você é a única coisa que me dá vontade de levantar da cama.”
“Poucas coisas ainda me fazem feliz, e você é uma delas.”
“Não pense muito em mim.
Não quero que você fique toda sentimental.
Apenas viva bem.
Apenas viva…”
“Sem amor, eu já teria afundado várias vezes.”
“É isso. Você está marcada no meu coração, Clark.
Desde o dia em que chegou, com suas roupas ridículas,
suas piadas ruins e sua total incapacidade de disfarçar o que sente.
Você mudou a minha vida muito mais do que esse dinheiro vai mudar a sua.”
“Percebi que estava com medo de viver sem ele.
“Sei que essa não é uma história de amor como outra qualquer.
Sei que há motivos para eu nem dizer isso.
Mas eu amo você.
De verdade.”
“E sabe o quê?
Ninguém quer ouvir esse tipo de coisa.
Ninguém quer ouvir você falar que está com medo, ou com dor, ou apavorado coma possibilidade de morrer por causa de alguma infecção aleatória e estúpida.
Ninguém quer ouvir sobre como é saber que você nunca mais fará sexo, nunca mais comerá algo que você mesmo preparou, nunca vai segurar seu próprio filho nos braços.
Ninguém quer saber que às vezes me sinto claustrofóbico estando nesta cadeira que tenho vontade de gritar feito louco só de pensar em passar mais um dia assim.”












Nenhum comentário:

Postar um comentário